quarta-feira, 30 de março de 2011

BBB com Limão: A Final


Ontem rolou a final do BBB11 que consagrou pela primeira vez uma periguete como campeã! Maria ganhou com 43% dos votos! Vamos acompanhar como foi o programa e os bastidores:



Janaína inovou no penteado e foi com um ninho de João de Barro na cabeça..





“pode chamar de Marge Simpson se preferir...”



Rodrigão e Adriana esbanjaram desejo...
 
Pode beijar, só não amassa minha roupa nem desmancha meu cabelo!”


Diogo e Maurício estão conversando fora da casa. Será que rola namoro?

Mais de perto..
“vô ti inguli rs rs rs”
Agora vamos ver como foi o programa resumidamente:



Última prova de resistência do BBB11: show do Jota Quest.



“Putz, será que eu aguento?”



Daniel se despediu do coqueirinho.



Começou os flashbacks. TODOS CHORAM.



“Aguinha, u u u u u! Tô lôca, tô maluca!”




Wesley viu que não fez praticamente nada durante o confinamento...



Continua a prova de resistência...



Flashback dos barracos, Diogo ri de sua grosseria...



Momento Escola para Todos com Adriana



Momento Escola para Todos com Ariadna
Hora da charge, hora de ir no banheiro...



Daniel é o primeiro a sair da casa. Ficou em terceiro!



Bial começa o discurZZzzz....zzzz.......



Maria ganha!



“P@ta que Pariu!! Ganhei!!!”



“AÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ!!!! Finalmente eu tô livre

Nós também!





Mãe da ex-BBB Adriana acredita que Rodrigão não quer nada sério



Parece que a mãe da ex-BBB 11 Adriana não apóia o relacionamento da filha com o modelo Rodrigão, que também participou do reality show. Apesar das declarações que deram a entender que engatariam um romance fora da casa, Maria da Penha Santosdeclarou ao jornal "Extra" que não acredita nas boas intenções do rapaz.

Segundo a publicação carioca, Maria acredita que o rapaz não que se envolver com a filha. Ela ainda não conversou com a Miss Campos dos Goytacazes sobre o romance, mas disse que deseja que Adriana perceba que Rodrigão não quer nem está pronto para um relacionamento sério.

BBB termina com a pior audiência de sua história



A falta de emoção na final do "Big Brother Brasil 11", na noite desta terça-feira (29), se refletiu diretamente na audiência do programa. De longe, foi a pior audiência da história do reality show.

Segundo dados prévios do Ibope em São Paulo, o BBB 11 marcou 30 pontos, bem abaixo dos 40 da edição anterior, que era, até então, a mais baixa marca do programa. O que assusta é que a queda não foi de apenas um ou dois pontos, mas de dez!

A audiência média de todo o programa foi de 25 pontos, também a pior marca da história. Ainda assim, o BBB 12 está confirmadíssimo, tendo em vista, obviamente, o retorno comercial que o programa dá.

Veja abaixo a audiência das finais de todas as edições:

BBB 1 – 59 pontos
BBB 2 – 45 pontos
BBB 3 – 55 pontos
BBB 4 – 56 pontos
BBB 5 – 57 pontos
BBB 6 – 51 pontos
BBB 7 – 48 pontos
BBB 8 – 46 pontos
BBB 9 – 41 pontos 
BBB 10 – 40 pontos
BBB 11 – 30 pontos

terça-feira, 29 de março de 2011

Orkut: O guia definitivo

   Criada 11 dias antes do seu maior concorrente, a rede social Orkut , criada pelo programador turco Orkut Büyükkökten, começou a fazer sucesso no Brasil no mesmo ano de seu lançamento, em 2004. Na época, apenas em inglês, o site só permitia o ingresso de novas pessoas quando estas mesmas fossem convidadas por seus amigos que já estivessem cadastrados na rede. E foi este sistema, com este caráter de exclusividade e de clube privativo que fez o Orkut ser o que ele é hoje. Com a popularização acelerada, não foi difícil ouvir os termos usado na rede, em inglês, caindo na boca do povo. Frases como "Me manda um scrap", "Manda por testimonial" ou "Cria um post na comunidade" podiam ser ouvidas em qualquer mesa de bar, mesmo o Orkut tendo disponibilizado sua versão em português pouco mais de um ano depois de sua criação


Orkut (Foto: Reprodução/ Orkut)

O Orkut revelou-se um espaço social de livre expressão e opinião, o que fez nascer muitas boas ideias e trocas de conhecimento. Por outro lado, a livre expressão também fez surgir comunidades incentivando a pirataria, o bullying, o racismo e a pedofilia. Algumas torcidas organizadas, inclusive, chegavam a marcar brigas em tópicos de suas comunidades. A questão fez com que a justiça brasileira (assim como a de vários outros países) começasse a considerar essas postagens como provas de crimes.
Hoje, ainda mantendo o posto de maior rede social do Brasil, o Orkut se vê obrigado a oferecer novas funcionalidades e mudanças no visual para conseguir deter a migração de seus usuários para o Facebook, rede social que é sucesso em todo o mundo. Para isso, o Google utilizou-se de vários recursos disponibilizados por sua concorrente, como a ferramenta de bate-papo, a integração de aplicativos, a adoção do sistema de murais e, na última mudança, a funcionalidade "Gostou?", muito parecida com o "Curtir".
Se você já é adepto desta rede social, confira abaixo o nosso Guia Definitivo do Orkut com todos os tutoriais cadastrados aqui no TechTudo. Fique ligado pois esta lista continuará crescendo. Aproveite também para participar da comunidade do TechTudo no Orkut. E se você não é adepto, está esperando o quê? Confira os primeiros passos e aprenda a criar a sua conta na maior rede social do Brasil.

Primeiros passos

Dicas e truques

Segurança
Empresas

segunda-feira, 28 de março de 2011

sábado, 26 de março de 2011

Coisas que eu sonho em fazer com algumas pessoas da minha escola:

No corredor: 
Na escada:
NÃO VEJO A HORA DESSE DIA CHEGAR!

O passado


Às vezes me pego relembrando o passado. Ao ouvir uma música, ou sentir um cheiro. Tem vezes que é lendo algo, vem alguma lembrança de algo vivido há tanto tempo, que até parece que aconteceu em outra vida que não essa. Às vezes até penso se fui eu mesma quem viveu tudo aquilo, e não outra pessoa que já está morta e enterrada e agora sou só uma guardadora de suas memórias. E aí a gente percebe o quanto mudou.
Nesses momentos vem uma saudade incrível de coisas tão pequenas. Coisas simples, que na época pareciam tão comuns e frívolas, mas que hoje que não existem mais, denotam toda a importância que tinham. E aí me dou conta da velha frase que só damos valor a algo quando perdemos. E tento, em vão, olhar para as coisas simples de hoje dando o seu devido valor. Mas é difícil. É muito difícil simplesmente viver o presente. As lembranças estão sempre por perto. Sempre aparecendo de repente e dando aqueles apertinhos no peito, ou fazendo surgir um sorriso inevitável.

10 Coisas que a mulher nunca vai ouvir o homem dizer


1 - Amor você está triste, quer conversar?

2 -  Amor, já que estou de pé, você quer alguma coisa?

3 - Vamos ao shopping? Você aproveita e escolhe alguns sapatos novos?

4 - Precisamos discutir nossa relação...

5 - Prefiro ficar com você, não quero ir ao bar beber com os amigos

6 - Sexo não é importante. Vamos ficar apenas conversando

7 - Você cortou o cabelo?

8 - Não compre na primeira loja, vamos andar mais um pouco para você escolher melhor.

9 - Deixa que eu lavo a louça.

10 - Esse vestido ficou bom, mas por que você não experimenta os outros?



haha  é a mais pura realidade kkk

pra descontrair ☻



cerejacomchantily:

Quando eu acordo e me olho no espelho eu fiko assim:



kkkkkk 

sexta-feira, 25 de março de 2011

Estresse causa problemas ginecológicos

Thinksotck

Problemas ginecológicos podem ser consequências do estresse

Ansiedade pode trazer alterações menstruais e dificuldade para engravidar

O estresse é causa de muitas doenças. No caso das mulheres, muitas disfunções do aparelho reprodutor são resultantes de altos níveis deansiedade. O ginecologista Mauricio Simões Abrão afirma que nesse caso o estresse se relaciona com o perfil das doenças de duas formas mais significativas. A primeira, alterando o funcionamento hormonal. "Em cada pico de estresse, há um pico de adrenalina e, consequentemente um estímulo hormonal inadequado. Este estímulo pode gerar alterações menstruais, alterações na ovulação ou até sangramentos genitais", explica. A segunda é a queda na imunidade. "O sistema imunológico está por trás de várias doenças no ser humano, o que ocorre muito em ginecologia", diz.

Um estudo feito pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, constatou que viver sob tensão constante acaba interferindo na fertilidade.
Estresse pode causar problemas ginecológios - Foto: Getty Images
Os pesquisadores acompanharam 274 casais que estavam tentando engravidar há seis meses e descobriram que as mulheres tinham menos probabilidade de gerar filhos quando apresentavam níveis elevados de uma enzima relacionada ao estresse.

Os casais, acompanhados durante um ano, seguiram os ciclos mensais utilizando kits de fertilidade em casa. No sexto dia do ciclo de cada mês as mulheres forneciam amostras de saliva que eram testadas para os hormônios do estresse, o alfa-amilase e o cortisol. 

Os níveis de cortisol aparentemente não influenciaram a capacidade de concepção. Mas aquelas com níveis mais altos de alfa-amilase tiveram cerca de 12% menos de probabilidade de engravidar.

Jogue video game e turbine sua saúde

Divulgação

O lançamento de um novo tipo de console de videogames trouxe para esse universo um público que já não estava acostumado mais a jogar, seja pela idade ou mesmo por gosto. Games como o Nintendo WiiXbox Kinect e o PlayStation Move, que vêm com jogos mais simples e reconhecem o movimento do corpo, parecem ter mudado este cenário, fazendo com que os jogadores ganhassem mais algumas faixas etárias.
Apesar de os próprios fabricantes aconselharem os usuários a tomar cuidado com o tempo excessivo de jogo, sugerindo um tempo de descanso no caso de dores ou mesmo tomar cuidado com outros jogadores, os acidentes, as pancadas, os vasos quebrados e os machucados parecem insistir em aparecer.
Mesmo assim, este novo tipo de interação com os videogames parece mesmo ter chegado para ficar e médicos e outros profissionais da saúde já acham interessante a ideia de utilizar os consoles no tratamento de determinadas doenças.
O que pode dar errado?
Uma das principais novidades nos 
últimos tempos no mundo dos games foi, sem dúvida alguma, o Nintendo Wii, lançado em 2001. Pouco tempo depois de seu lançamento começaram a aparecer relatos dos primeiros casos de reclamações de dores principalmente nas costas, ombros e cotovelos por conta dos jogos de esportes que vêm com o console, e usuários começaram a comparavam jogar videogame com ir à academia. Em entrevista à revista “Time”, Perrin Kaplan, porta-voz da Nintendo, afirmou que “se as pessoas estão sentindo dores, eles devem se exercitar mais”.
Atualmente é o Kinect que tem proporcionado bom exemplos de como tomar cuidado na hora de brincar. Uma rápida busca por vídeos na internet com as palavras “kinect” e “fail” resulta em imagens que demonstram claramente alguns dos "perigos" de fazer movimentos bruscos ao brincar com o console.
O que pode dar certo?
Por outro lado, nos últimos anos começaram 
a surgir algumas aplicações desse tipo de game “ativo” para a saúde.Pesquisadores os usam para o tratamento de problemas motores provenientes de distúrbios neurológicos. Os cientistas trabalham com diferentes configurações de videogame para treinar as partes “mais fracas” do cérebro, estimulando os pacientes a usarem as regiões afetadas. 




Em 2006, um artigo publicado na revista “Pediatrics” compara a energia utilizada em games de “tela fixa” e em “games ativos”, ou seja, uma comparação entre jogos tradicionais com os de Wii, Xbox ou PS Move, que exigem movimento. Os resultados não poderiam ser mais óbvios: os autores descobriram que o game Dance Dance Revolutions, do Nintendo Wii, proporcionavam um gasto de energia até 172% maior, em comparação com um estado de repouso. Para jogos “sedentários”, este gasto foi de apenas 20% a mais. Estes dados serviram de base para que os pesquisadores indicassem este tipo de game para o tratamento de obesidade em crianças.
Também em 2006, após o lançamento do Wii, o estadunidense Mickey DeLorenzo, iniciou o projeto ”Wii Sports Experiment”, com o qual planejava perder peso apenas com 30 minutos diários degaming. Em seis semanas, ele conseguiu perder quatro kg. Para quem só jogou videogame, não se pode deixar de considerar como uma excelente dieta.
Por outro lado, há quem não acredite que o acessório para o console da Nintendo traga tantos benefícios para o corpo. Em um estudo de 2009, Scott Owens, um pesquisador da Universidade doMississippi, nos Estado Unidos, procurou descobrir se o acessório Wii Fit, que permite que os jogadores façam exercícios de academia, testando equilíbrio, força, aeróbica, yoga, poderia servir de auxílio para que a grande quantidade de obesos do país fizesse um pouco mais de exercício.
Owens deu a oito famílias um console com o acessório e pediu para que elas jogassem durante um período de seis meses. Os resultados mostraram que as crianças tiveram um aumento na atividade aeróbica após três meses, mas não houve nenhuma modificação corporal significativa.
Em 2008, um outro pesquisador americano, David Dzewaltowski, da Universidade Estadual do Kansas, mostrou certo ceticismo quanto aos possíveis benefícios do Wii. Segundo ele, “qualquer coisa que faça com que as pessoas se exercitem mais é positivo, mas se as pessoas estão trocando atividades físicas que requerem mais movimento pelo videogame, então isso é negativo”.
Mas o Wii pode ser utilizado também para outras áreas da saúde. Em junho de 2009, um estudo do Dr. Ben Herz, da Faculdade Médica da Geórgia, nos EUA, mostrou que o console da Nintendo pode ser utilizado também para o tratamento de pacientes com Mal de Parkinson. Segundo Herz, “o Wii permite que os pacientes trabalhem em um ambiente virtual que é seguro, divertido e motivador”. Os jogos do console permitem que os pacientes exercitem a coordenação entre visão e movimentos, percepção visual e movimentos em sequência. Além disso, estudos revelam que o uso de videogames aumenta a produção de dopamina no organismo, um neurotransmissor reduzido em pessoas com Mal de Parkinson.
Outros estudos usam o console também para a recuperação de pacientes que sofreram AVCs (acidente vascular cerebral, ou, mais popularmente, derrame), ferimentos nos membros, cirurgias ou mesmo ferimentos de guerra.  

O lançamento do acessório Kinect, do Xbox (Microsoft), pode ter sido ainda mais estrondoso para o mundo dos games do que o Nintendo Wii, já que ele permite o controle do jogo apenas com os movimentos do corpo, sem precisar de joystick. 

Já existem também algumas possíveis aplicações do acessório para tratamentos e recuperação de pacientes. Um dos principais pontos a serem abordados no futuro é a reabilitação motora e física em casa, com “games” que podem identificar e verificar o estado dos pacientes e sua evolução, por exemplo. Além disso, os médicos poderão avaliar o progresso dos pacientes via a rede social do console, a Xbox Live. 

O treinamento de médicos e
 profissionais da saúde também pode ganhar mais uma ferramenta, tanto para aprendizado remoto ou mesmo para a utilização de pacientes virtuais. 

Mas não são apenas consoles e games modernos que podem ser dar ao luxo de ajudar no tratamento de pacientes. No final de 2010 do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Oxford, no Reino Unido, usou o famoso jogo de encaixe de peças Tetris para auxiliar no tratamento de lembranças traumáticas. A pesquisadora Emily Holmes descobriu que o famoso jogo tem a capacidade de diminuir os flashbacks que ocorrem após acontecimentos traumáticos. Outros games, como jogos de quiz, por exemplo, têm o efeito contrário, acentuando estas imagens. 
Ainda na linha dos games “mais tradicionais”, a pesquisadora Daphne Bavelier, da Universidade de Rochester, em Nova York, publicou um artigo em 2009 mostrando que jogadores de games de tiro em primeira pessoa podem melhorar a visão. Os resultados do estudo foram tão importantes que os pesquisadores já acreditam que pacientes que sofrem de ambliopia - uma doença que afeta a percepção de contraste - poderia ser tratada com videogames.
Fato é que, como tudo, os games possuem pontos positivos e negativos e a nova geração de consoles não é diferente. Seguindo o bom senso, os games entretêm, ensinam, ajudam em tratamentos médicos e projetos sociais. Foi-se o tempo que jogar videogame era coisa de criança e apenas diversão. Ainda bem.

Tratamentos para acabar com o frizz

Thinksotck

Fugir de chuva, vento, sol, poeira e outros fenômenos naturais para não estragar o cabelo é algo que muitas mulheres fazem, mas poderiam evitar. É possível enfrentar climas extremos sem ficar com os fios avolumados ou espetados. Hoje em dia, já existem tratamentos que acabam com o frizz e o volume excessivo.

De acordo com o cabeleireiro Bruno Barros, cabelos grisalhos, mistos e jovens, de adolescentes de 11 a 16 anos, costumam ser os mais atingidos pelos fios espetados. "Muitos brancos têm uma textura diferente, totalmente frisada. Esse tipo de fio, então, precisa de muitos cuidados para ficar com uma boa aparência", recomenda.

Já as madeixas de pessoas mais novas não devem ser tratadas com produtos muito fortes. "Tem muita mãe que se desespera e parte para o alisamento. Mas é preciso esperar. O cabelo muda até os 18 anos pela questão hormonal. Cerca de 60% melhoram", diz. 
Aprenda a domar os fios espetados - Foto: Getty Images
Independente da idade, o que precisa ser analisado para se encontrar uma solução para o frizz é a sua causa. "Em geral, tem a ver com ressecamento. Mas pode ser em função de eletricidade estática e presença de fios muito finos", explica o especialista. O ideal é que um profissional faça essa análise.

Quando o cabelo está seco, a cutícula dos fios fica aberta, o que dá a aparência espetada. Usar xampus e condicionadores que recuperem a força perdida é indicado. "Mas existem produtos próprios para fechar as cutículas com maior intensidade, além de revestir os fios e anular os arrepiados", explica o cabeleireiro Gennaro Preite.

É importante verificar a textura do cabelo para não errar na escolha do produto. Às vezes, os fios necessitam de força. Outras vezes, de emoliência. Não adianta usar cremes à base de queratina ou fazer cauterizações para dar força se o que você precisa é de hidratação
Cabelos mistos, grisalhos e de adolescentes costumam ser os mais atingidos pelos fios espetados
Já a eletricidade estática é provocada pelo atrito dos objetos, como um pente de plástico ou metal, com o cabelo. Esses itens podem, além de arrepiar os fios, atrair partículas sujeira e poluição, que atrapalham na evaporação de fluidos naturais, deixando as madeixas oleosas.

Para resolver o problema, uma boa solução é optar pelos pentes de madeira, que tiram a eletricidade. Também existem secadores e chapinhas que combatem este efeito, basta olhar na embalagem e procurar por indicadores que apontem o combate à eletrostática. 
Os cabelos muito finos espetam facilmente porque são quebradiços. Uma coloração pode ajudar a engrossá-los e o uso de cremes hidratantes com queratina na composição pode deixá-los mais comportados, porque restauram as estruturas danificadas e dão mais peso ao cabelo.

Para resolver o problema de volume excessivo, o cabeleireiro Marcos Sales aconselha aplicar um redutor de volume. "Os redutores são específicos para cada tipo de cabelo, por isso cabe a um profissional indicar o melhor tratamento, tal como o tiometaclilato, guanidina, hidróxidos de sódio, amônia, monoetamonamina e hidroxido, entre outros". Segundo ele, cada um desses componentes fará com que a estrutura do cabelo seja modificada de maneira durável, deixando os fios soltos e com balanço. Como são produtos químicos, os redutores, sejam fortes ou fracos, devem ser utilizados de maneira responsável.